Oi triplica prejuízo e admite vender operação móvel

Luís Osvaldo Grossmann ... 02/12/2019 ... Convergência Digital

Com dois meses de atraso, a Oi informou nesta segunda, 2/12, que o terceiro trimestre deste 2019 terminou com prejuízo de R$ 5,74 bilhões, mais de três vezes superior às perdas de R$ 1,33 bilhão há um ano. No trimestre, houve queda nas receitas (-8,8%) e no número de assinantes (-6,2%). 

A receita líquida atingiu R$ 5 bilhões, queda de 1,8% na comparação trimestral. A dívida líquida da companhia encerrou setembro em R$ 14,71 bilhões, alta de 17% na comparação trimestral e de 34,1% no ano. Mas os investimentos, centrados na fibra, de R$ 2 bilhões entre julho e setembro, cresceram 35% sobre o mesmo período de 2018. 

Ao apresentar os resultados, a direção da companhia apontou que o desempenho negativo está ligado aos serviços ‘legados’, baseados em cobre, mas que há sinais favoráveis nos “serviços não regulados” e no desempenho da oferta de conexões por fibra – que encerrou o trimestre com 3,6 milhões de casas passadas e uma taxa de ocupação de 12%. 

Além de reforçar os planos para a venda de ativos no curto prazo, notadamente a participação na Unitel e parte dos 8 mil imóveis, a empresa admitiu que faz as contas para valorar a operação móvel, na qual detém cerca de 16% do mercado brasileiro.  

“Estamos trabalhando com nossos consultores financeiros para entender o valor real do negócio de mobilidade, mas esse valor já foi reconhecido e poder gerar valor para o acionista no futuro. Se houver condição para consolidação haverá interesse”, afirmou o diretor de operações da Oi, Rodrigo Abreu. Ele completou, no entanto, que “não há negociação ou diálogo nesse sentido acontecendo”. 

Ainda de acordo com o executivo, as mudanças no marco legal do setor devem levar de 12 a 18 meses para serem regulamentadas. “Não esperamos grande impacto da nova lei no curto prazo, a não ser para a venda dos imóveis”, completou. Apesar do momento financeiro, Rodrigo Abreu assegurou que a Oi tem interesse em comprar frequências do leilão 5G ainda a ser marcado pela Anatel e que o mercado já especula ter sido adiado para 2021.


Empate suspende decisão do STF sobre desbloqueio de celular em 24 horas

Operadoras questionam no Supremo uma lei do Rio de Janeiro que determina o desbloqueio da linha 24 horas após quitação de dívida. Placar está em 5 a 5. 

Copel Telecom marca privatização para novembro e quer R$ 1,4 bilhão

Edital de venda do braço de telecomunicações da estatal paranaense de energia é previsto para 21/9. Empresa tem 34 mil km de fibras em 399 municípios. 

Oi diz à CVM que movimento de ações se deve a aprovação de plano e venda da móvel

Comissão de Valores Mobiliários perguntou o motivo das oscilações recentes nos papéis da operadora, com quedas superiores a 7% seguidas de aumentos de 9%. 

Claro tenta resgatar TV paga com planos alternativos a não clientes

Com metade do mercado nacional de TV por assinatura, o presidente da empresa, José Félix, diz que fará lançamentos nos próximos dias. “A TV está sofrendo alterações e vamos lançar de imediato um novo serviço.”

Revista do 63º Painel Telebrasil 2019
Veja a revista do 63º Painel Telebrasil 2019 Transformação digital para o novo Brasil. Atualizar o marco regulatório das telecomunicações é urgente para construir um País moderno, próspero e competitivo.
Clique aqui para ver outras edições



  • Copyright © 2005-2020 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G