TELECOM

Oi triplica prejuízo e admite vender operação móvel

Luís Osvaldo Grossmann ... 02/12/2019 ... Convergência Digital

Com dois meses de atraso, a Oi informou nesta segunda, 2/12, que o terceiro trimestre deste 2019 terminou com prejuízo de R$ 5,74 bilhões, mais de três vezes superior às perdas de R$ 1,33 bilhão há um ano. No trimestre, houve queda nas receitas (-8,8%) e no número de assinantes (-6,2%). 

A receita líquida atingiu R$ 5 bilhões, queda de 1,8% na comparação trimestral. A dívida líquida da companhia encerrou setembro em R$ 14,71 bilhões, alta de 17% na comparação trimestral e de 34,1% no ano. Mas os investimentos, centrados na fibra, de R$ 2 bilhões entre julho e setembro, cresceram 35% sobre o mesmo período de 2018. 

Ao apresentar os resultados, a direção da companhia apontou que o desempenho negativo está ligado aos serviços ‘legados’, baseados em cobre, mas que há sinais favoráveis nos “serviços não regulados” e no desempenho da oferta de conexões por fibra – que encerrou o trimestre com 3,6 milhões de casas passadas e uma taxa de ocupação de 12%. 

Além de reforçar os planos para a venda de ativos no curto prazo, notadamente a participação na Unitel e parte dos 8 mil imóveis, a empresa admitiu que faz as contas para valorar a operação móvel, na qual detém cerca de 16% do mercado brasileiro.  

“Estamos trabalhando com nossos consultores financeiros para entender o valor real do negócio de mobilidade, mas esse valor já foi reconhecido e poder gerar valor para o acionista no futuro. Se houver condição para consolidação haverá interesse”, afirmou o diretor de operações da Oi, Rodrigo Abreu. Ele completou, no entanto, que “não há negociação ou diálogo nesse sentido acontecendo”. 

Ainda de acordo com o executivo, as mudanças no marco legal do setor devem levar de 12 a 18 meses para serem regulamentadas. “Não esperamos grande impacto da nova lei no curto prazo, a não ser para a venda dos imóveis”, completou. Apesar do momento financeiro, Rodrigo Abreu assegurou que a Oi tem interesse em comprar frequências do leilão 5G ainda a ser marcado pela Anatel e que o mercado já especula ter sido adiado para 2021.


Revista do 63º Painel Telebrasil 2019
Veja a revista do 63º Painel Telebrasil 2019 Transformação digital para o novo Brasil. Atualizar o marco regulatório das telecomunicações é urgente para construir um País moderno, próspero e competitivo.
Clique aqui para ver outras edições

Teles lançam site Fique Antenado! para incentivar instalação de antenas

Página, produzida pelo SindiTelebrasil, tem o intuito de incentivar a instalação de mais infraestrutura de telecom. MCTIC e Anatel apoiaram a iniciativa. Frente Nacional de Prefeitos se dispôs a sentar à mesa e tirar as dúvidas das gestões municipais.

Telefónica Brasil vende 1.909 torres para Telxius por R$ 641 milhões

Empresa anunciou a venda depois do posicionamento oficial da companhia de abrir mão das operações na América Latina para centrar as atenções no mercado brasileiro.

TelComp: conflito do uso do poste não tem uma solução única

Presidente do conselho da entidade, Luiz Henrique Silva, diz que há muitas possibilidade e os operadores neutros - que começam a chegar ao Brasil - são uma delas. Sobre fusões e aquisições, um recado: o uso de equipamentos não homologados é inaceitável.

Oi vai propor grupamento de ações se preço não subir acima de R$ 1

Tema será levado ao conselho de administração para debate na assembleia de acionistas marcada para abril de 2020. 




  • Copyright © 2005-2019 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G