SEGURANÇA

Urna eletrônica: Positivo e Diebold/Smartmatic têm oito dias para se ajustarem ao TSE

Ana Paula Lobo* ... 08/01/2020 ... Convergência Digital

Os fornecedores Positivo e Smartmatic do Brasil, em consórcio com a Diebold, ganharam oito dias do Tribunal Superior Eleitoral para adequarem as suas urnas eletrônicas para a nova licitação a ser feita pelo Tribunal para a aquisição de 60 mil equipamentos para as eleições municipais de outubro. O TSE admite que o prazo é 'bastante apertado', mas decidiu tentar 'salvar' a concorrência, uma vez que é preciso substituir as urnas fabricadas entre 2006 e 2008, defasadas tecnologicamente e ainda em uso no País.

Em dezembro, as fabricantes foram desqualificadas, mas, agora, vão poder reapresentar seus projetos dentro dos padrões legais exigidos pelo certame. O TSE possui algo em torno de R$ 60 milhões, bem abaixo do orçamento feito no ano passado, em torno de R$ 700 milhões para a atualização das 180 mil urnas em atividade.

Um ponto também a ser visto pelo TSE é o fato de a segurança das urnas ter sido quebrada em dois dos 13 planos de ataque simulados pelo próprio Tribunal, em dezembro. Os ataques bem sucedidos foram realizados pela equipe de peritos criminais da Polícia Federal, Paulo César Wanner, Ivo Peixinho e Galileu Batista de Sousa. Oficialmente, no entanto, o Tribunal Superior Eleitoral assegurou que o 'sucesso dos ataques não comprometeu o sigilo do voto ou a segurança do processo eleitoral".


NEC - Conteúdo Patrocinado - Convergência Digital
Multibiometria: saiba como ela pode cuidar da sua segurança digital

Plataforma Super Resolution, que integra espaços físicos e digitais, será apresentada pela primeira vez no Brasil no Futurecom 2018. Um dos usuários da solução é o OCBC Bank, de Cingapura. A plataforma permite o reconhecimento instantâneo das pessoas à medida que se aproximem da agência.

Accenture compra divisão de segurança cibernética da Symantec

Os valores da transação não foram revelados. Com a aquisição a Accenture Security passa a fazer parte dos principais fornecedores de serviços de segurança gerenciados e terá a nuvem como plataforma de desenvolvimento.

Adiar a LGPD para ganhar tempo não vai resolver o problema das empresas

“Existe um viés de adiamento, mas isso não vai resolver o problema”, afirma o gerente de contas do grupo Binário, Leandro Alves.

Serpro faz a plataforma para consentimento ao uso de dados no Governo

“O governo coleta informações para usos obrigatórios, mas para outros usos precisa de consentimento”, explica o superintendente de segurança da informação da estatal, João Vieira de Almeida Junior.

Cyberseason se alia à NEC e diz que LGPD vai mudar a cibersegurança no Brasil

"O hacker brasileiro é único. Ele não quer atacar fora da fronteira. Ele ataca internamente. É um comportamento diferente", afirmou o co-fundador e CEO da Cyberseason, Lior Div. O 5G também trará mudanças relevantes.



  • Copyright © 2005-2019 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G