TELECOM

Economia: Direito de passagem para Telecom não será gratuito

Luís Osvaldo Grossmann ... 11/02/2020 ... Convergência Digital

A secretaria de Desenvolvimento de Infraestrutura do Ministério da Economia entende que será possível estipular o chamado ‘silêncio positivo’ para o licenciamento de antenas de celular por meio do Decreto que vai regulamentar a Lei das Antenas, em elaboração no governo e esperado para o primeiro trimestre deste 2020. 

Segundo explicou o secretário Diogo Mac Cord ao Convergência Digital nesta terça, 11/2, a combinação da Lei de Liberdade Econômica (Lei 13.874/19) com as prerrogativas federais sobre telecomunicações permite ao governo estipular um prazo para o licenciamento de infraestrutura pelos municípios, após o qual as licenças são automaticamente emitidas. 

“Se passar do prazo, a licença é liberada. Se depois o município entender que há algum descumprimento, pode vir a rever a licença. Mas isso não impede que o assunto venha a ser tratado nesse Decreto sobre infraestrutura no qual estamos trabalhando”, afirmou o secretário 

O mesmo Decreto também vai abordar o direito de passagem, mas pacificar a questão junto ao Ministério de Infraestrutura, particularmente em relação ao Departamento Nacional de Infraestrutura em Transportes (Dnit), terá algum custo, ao contrário do que esperam as operadoras de telecom. 

“Tratar isso como gratuidade não foi uma coisa realista, porque simplesmente retirou qualquer incentivo. Portanto, isso deverá ser equilibrado no Decreto”, explicou o secretário Mac Cord. Mais cedo, durante painel no seminário Políticas de Telecomunicações, promovido pelo portal Teletime, ele afirmou que “a questão do direito de passagem é uma das pautas prioritárias e na regulamentação da Lei das Antenas temos a possibilidade de entrar especificamente nesse ponto para racionalizar os investimentos”.

A Lei das Antenas (13.116/15) prevê que “não será exigida contraprestação em razão do direito de passagem” e por isso as empresas de telecomunicações sustentam que não haja pagamento. Mas o Dnit restringe essa leitura às vias urbanas – e por isso mantém cobrança que varia entre R$ 4 mil e R$ 8 mil por quilômetro, por ano, nas estradas federais. 

O mesmo Decreto vai definir outro ponto da Lei das Antenas, quando ela estipula que “a instalação, em área urbana, de infraestrutura de redes de telecomunicações de pequeno porte, conforme definido em regulamentação específica, prescindirá da emissão das licenças”. “Vamos definir o que são as antenas de pequeno porte, como é o caso das antenas do 5G, e elas não vão precisar de alvará”, completou Mac Cord. 


Internet Móvel 3G 4G
Carteira digital representou apenas 0,03% dos pagamentos recorrentes no Brasil

Pesquisa, produzida pela Vindi, com dados de 2019, mostra que o cartão de crédito, com larga vantagem, e o boleto bancário são as duas opções preferidas do brasileiro. No mercado de meio de pagamentos, a Cielo manteve a liderança, mas as startups, como a Stone, cresceram e apareceram.

Revista do 63º Painel Telebrasil 2019
Veja a revista do 63º Painel Telebrasil 2019 Transformação digital para o novo Brasil. Atualizar o marco regulatório das telecomunicações é urgente para construir um País moderno, próspero e competitivo.
Clique aqui para ver outras edições

Dataprev contrata Claro por R$ 236 mil para ter fibra ótica no Rio de Janeiro

Contrato, publicado no Diário Oficial da União, prevê a interligação dos prédios do data center da estatal de TI no Rio de Janeiro à filial na mesma cidade, no bairro de Botafogo.

Autor da nova Lei das teles lidera entidade para brigar por banda larga

Ex-deputado Daniel Vilela vai presidir a Aliança Conecta Brasil F4, que nasce com apoio da Huawei, FiberX e da consultoria Teleco, mas quer novos associados. “Não existe economia digital sem infraestrutura”, afirma.

Consumidores: Banda larga é o serviço com menor satisfação, celular o melhor

Para a Anatel, como o padrão de consumo exige estar sempre online, percepção de qualidade é especialmente rigorosa com a conexão à internet.

Decreto da nova Lei de Telecom depende de acerto sobre renovação de frequências

“Entendemos que é melhor que a Lei também seja aplicada para os contratos vigentes e estamos tentando construir uma posição única de governo”, explica o secretário executivo do MCTIC, Julio Semeghini. 




  • Copyright © 2005-2019 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G