GOVERNO

IBGE diz ao STF que precisa dos dados pessoais para calcular inflação, PIB e instruir políticas públicas

Luís Osvaldo Grossmann ... 24/04/2020 ... Convergência Digital

O IBGE respondeu ao Supremo Tribunal Federal para defender a requisição de nome, endereço e telefone de todos os clientes das operadoras de telefonia e sustentou que a medida nada mais faz do que garantir acesso a informações que estariam publicadas nas antigas listas telefônicas. 

Além disso, sustentou junto ao STF que tais informações são essenciais para a realização remota da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD), sem a qual nem o governo federal, nem os governos estaduais seriam capazes de planejar e executar políticas públicas. 

“Destaca-se que é através da PNAD-Contínua que se calcula, por exemplo, o PIB Trimestral e a inflação. Também é, com base nele, que o Tribunal de Contas da União calcula a repartição do Fundo de Participação dos Estados e Municípios a partir do vetor renda per capita. Sem as informações apuradas pela PNAD-Contínua pode-se dizer que, além de privados dos recursos do Fundo de Participação, os governos federal, distrital, estadual e municipal, ficariam sem os dados necessários para estudar medidas de volta à normalidade social e econômica, assim como restariam prejudicadas políticas públicas destinadas ao desenvolvimento socioeconômico e regional.”

Justificou o IBGE que “as informações pretendidas pelo ente público são as estritamente necessárias para a viabilização das suas pesquisas em caráter não presencial (notadamente, por telefone), a saber: nome, número de telefones e endereços. Informações essas que, diga- se, já constavam das antigas listas telefônicas, hoje em desuso”. 

“A necessidade do Instituto de ter acesso ao universo total dos dados solicitados, e não a parte deles, dar-se para fins de seleção correta da amostra. Os cadastros do ente devem representar o universo para auxiliar o pareamento com os cadastros domiciliares das pesquisas específicas. Para achar os domicílios das pesquisas, torna-se necessário busca-lo no universo de possibilidades. Aqui, importante levar em consideração, que as pesquisas por telefone possuem uma alta taxa de recusa, demandando alto coeficiente de reposição, o que determina imperativo o aumento da base amostral.”

Por fim, sustentou na manifestação ao STF que não haverá quebra de sigilo de dados pessoais, mas sim a transferência destes das teles privadas para um ente público. “Ao estabelecer o compartilhamento de dados sigilosos entre empresas privadas detentoras desses dados (empresas de telefonias) e a entidade pública responsável pela realização de estatísticas oficiais (IBGE), o que há, na verdade, é uma transferência de sigilos, e não uma quebra desse sigilo.”


Revista do 63º Painel Telebrasil 2019
Veja a revista do 63º Painel Telebrasil 2019 Transformação digital para o novo Brasil. Atualizar o marco regulatório das telecomunicações é urgente para construir um País moderno, próspero e competitivo.
Clique aqui para ver outras edições

Salim Mattar e Paulo Uebel deixam o Ministério da Economia

Anúncio foi feito pelo próprio ministro Paulo Guedes. Segundo ele, José Salim Mattar está insatisfeito com o ritmo das desestatizações -em TIC, havia a previsão das vendas do Serpro, Dataprev, Telebras e CEITEC. Já Paulo Uebel, à frente da transformação digital do goveno não teria gostado de a reforma administrativa ser adiada para 2021. 

Serviços digitalizados evitaram 65 milhões de visitas a órgãos públicos

A conta é da Secretaria de Governo Digital do Ministério da Economia, que considera atos inteiramente online anteriormente realizados somente com presença física do requerente. 

Suspeita de fraude faz Caixa bloquear 1,3 milhão de CPFs no Auxílio Emergencial

Total de contas bloqueadas responde por cerca de 5% dos pedidos aprovados. Para reativar o benefício, o dono da conta bloqueada terá de ir pessoalmente a uma agência e provar a sua identidade.

ABES: Software cobra transparência do ministério da Economia

Para o presidente da Associação Brasileira de Empresas de Software, Rodolfo Fücher, o veto à prorrogação da desoneração da folha chega em um momento onde a inadimplência aumenta e da falta de crédito.País caiu para 10º no ranking mundial de software.



  • Copyright © 2005-2020 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G