Clicky

INTERNET

Parlamento Europeu quer punir Irlanda por não usar a GPDR contra o Facebook

Luís Osvaldo Grossmann ... 21/05/2021 ... Convergência Digital

O Parlamento Europeu aprovou uma resolução na qual apela à Comissão Europeia para iniciar processos contra a Irlanda, por falta de aplicação do regulamento geral de proteção de dados (GDPR na sigla em inglês). A resolução foi aprovada por uma grande maioria de 541 votos, com apenas um voto contrário e 151 abstenções.

Pela resolução, o Parlamento Europeu "expressa profunda preocupação com o fato de que várias reclamações contra violações do GDPR registradas em 25 de maio de 2018, dia em que o GDPR se tornou aplicável, e outras reclamações de organizações de privacidade e grupos de consumidores, ainda não foram decididas pela DPC, que é a autoridade principal para esses casos."

A resolução cita expressamente a ação movida pelo advogado e ativista austríaco Max Schrems que questiona a proteção de dados do Facebook e igualmente reclama ações do DPC irlandês, uma vez que a própria Corte de Justiça da União Europeia já declarou que o acordo de transferência de dados entre Europa e Estados Unidos, batizado 'Escudo da Privacidade', não garante as proteções exigidas pelo GDPR.

DPC se refere ao comissário de proteção de dados da Irlanda (Data Protection Commissioner), que é o principal órgão no caso de violações à GDPR porque é naquele país onde se encontram as sedes internacionais de gigantes da internet, como o Facebook.

Ainda segundo a mesma resolução, o Parlamento Europeu aponda que "está preocupado que o DPC interprete‘ sem demora’ no Artigo 60 (3) da GDPR – ao contrário da intenção dos legisladores – como mais longo do que uma questão de meses."

Como consequência, os parlamentares também exortaram outras autoridades de proteção de dados da União Europeia a "tomar medidas proativas nos termos dos artigos 61 e 66 do GDPR para forçar o DPC a cumprir suas obrigações sob o Regulamento".


Brasil TecPar quer ser um ISP nacional e avança no Rio de Janeiro

Empresa, dona da Ávato Tecnologia e Amigo Internet, comprou a Intnet, com atuação na região dos Lagos. Meta  é chegar a 1 milhão de serviços prestados para clientes residenciais e empresariais em 2023. O valor da transação não foi revelado.

Para a Justiça, vender e não entregar produto na Internet não configura dano moral

A 1° Turma da 1ª Câmara Regional de Caruaru, na Paraíba, indeferiu o pedido de um cliente que comprou um celular pela internet mas nunca recebeu o pedido.  O autor comprou um celular, que nunca chegou, e solicitou indenização.

Anatel adia para 31 de agosto prazo para envio de dados dos ISPs

Agência reguladora atendeu a um pedido da Abranet, preocupada com a demanda junto às pequenas prestadoras de serviços de telecomunicações e com as possíveis sanções pelo não atendimento a demanda.

Elon Musk, da Starlink, descarta concorrência direta com as teles móveis

Como já fez com Mark Zuckerberg, do Facebook, o MWC 2021 deu protagonismo ao CEO da Space X, Elon Musk, que tem um serviço de banda larga via satélite Starlink. Executivo, humilde, disse que o seu sistema completa o 5G, e que mais coopera do que compete com as operadoras móveis.

STJ: Autoridade Judicial está apto a pedir dados a ISPs só pelo nome

Decisão foi da Quinta Truma do Superior Tribunal de Justiça (STJ) que negou mandado de segurança impetrado de um provedor de internet.



  • Copyright © 2005-2021 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G