Clicky

SEGURANÇA

Cisco: Covid-19 mostrou que cibersegurança passa por pensar no extremo

Por Roberta Prescott* ... 02/12/2020 ... Convergência Digital

A exponencialização do uso das aplicações em um momento no qual uma grande parte das empresas migra ou condidera migrar suas cargas de trabalho da nuvem faz com que a discussão sobre segurança se torne ainda mais relevante. Ao abrir a apresentação para imprensa dos resultados do mais recente "Relatório de Segurança Cisco: A mudança é o principal fator no sucesso na cibersegurança", conforme afirmou o CEO da Cisco do Brasil, Laércio Albuquerque. Ele reforçou o coro dos que dizem que a pandemia da Covid-19 obrigou as empresas a anteciparem a transformação digital e assinalou como a explosão de dispositivos conectados afetará a cibersegurança. 

“Estamos partindo para mercado global de 50 bilhões de devices conectados e isto significa 50 bilhões de brechas, de portas de entrada”, disse, lembrando que a chegada de 5G vai acelerar uso de Internet das Coisas (IoT, na sigla em inglês).  Albuquerque ressaltou ainda que a combinação de 5G com Wi-Fi 6 vai trazer um cenário diferente e inovador com relação à tecnologia e, especialmente, à segurança. “Quando vemos este cenário e somado fato de que as empresas estão movendo 30%, 40% até 70% da infraestrutura para cloud, há uma complexidade maior para proteger devices e redes, de dar acesso protegido às aplicações e, com os diversos usos de cloud, ter uma movimentação entre nuvens cloud protegida”, afirmou aos jornalistas.

É, segundo o CEO, um momento de complexidade única e que exige um debate sobre plataformas de cibersegurança que atendam às necessidades do futuro. “Ainda se associa muito cibersegurança com firewall, mas isso é olhar para o passado. Estamos diante de um mundo completamente diferente e há necessidade de fazer proteção baseada em software, em inteligência artificial”, defendeu. A cibersegurança deve, na visão dele, fazer parte do alicerce que as companhias constroem hoje para atender ao exigente consumidor digital.  

Questionado sobre os impactos da Covid-19 e todas as transformações advindas dela, o diretor de cibersegurança da Cisco América Latina, Ghassan Dreibi,  disse que a pandemia deixou claro que é preciso estar preparado para algo extremo. “Antes, se focava muito em apontar erros no processo na detecção de ameaças e, neste momento, se entende que é preciso discutir a prática. Cenários como o da pandemia vão acontecer e, se acontecer, é preciso saber como se comportar, quais são as práticas para buscar os tipos de resultados diferentes”, apontou.

O estudo Cisco Security Outcomes Study entrevistou 4.800 profissionais ativos de TI, segurança e privacidade em 25 países, incluindo o Brasil, para determinar os fatores que impulsionam os melhores resultados de segurança. 


Telecom somou 2,6 milhões de transações fraudulentas no 1º semestre

Já os celulares são os aparelhos com maior tentativa de fraude nas vendas pela internet: 5,1% dos casos. 

Dar segurança ao trabalho remoto foi a missão da TI com Covid-19

Pesquisa global mostra como adaptação dos profissionais ao teletrabalho teve que focar em ameaças de phishing, ataques e malware. 

ANPD e NIC.br assinam cooperação para gerar cultura de segurança de dados

Assinatura também marcou o lançamento de cartilhas do NIC.br sobre proteção de dados e vazamentos de dados.  Eles orientam sobre os direitos e deveres dos titulares dos dados.

Operação contra Pirataria Digital bloqueia 344 sites e 95 apps de transmissão ilegal de conteúdo

A terceira fase das operação 404 acontece em nove Estados do País e também removeu perfis de redes sociais e de buscadores da Internet. Ação policial tem apoio das embaixadas dos EUA e do Reino Unido.



  • Copyright © 2005-2021 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G