Clicky

Justiça Federal de SP manda Anatel impedir corte de telefonia durante pandemia

Luís Osvaldo Grossmann ... 03/04/2020 ... Convergência Digital

Sem surpresas diante da crescente pressão sobre os “serviços essenciais”, saiu uma decisão da Justiça Federal, no caso 12ª Vara Cível Federal de São Paulo, para impedir o corte dos serviços de água, gás, energia elétrica e telefonia durante a pandemia de coronavírus, mesmo em caso de falta de pagamento. 

A ação não é diretamente contra as fornecedoras dos serviços, mas sim contra as agências reguladoras: Arsesp, ANP, Aneel e Anatel. E sustenta que por conta do isolamento social como medida protetiva à propagação da Covid-19, com impactos econômicos, os serviços devem ser mantidos. 

A dúvida é se a decisão, como proferida, tem como ser cumprida. A ordem expedida é para que as agências reguladoras mencionadas “se abstenham de suspender ou interromper o fornecimento de serviços essenciais”. Mas como apontou um integrante da Anatel ao Convergência Digital, não são as agências que fornecem os serviços, mas empresas. Nesse sentido, a decisão como posta não tem como ser efetivamente cumprida. 

Segundo a juíza Natalia Luchini, “a pandemia de Covid-19 é fato público e notório bem como o Estado de Calamidade Pública”. Ela lembra que dentre as medidas tomadas “está a denominada ‘quarentena’, ou isolamento/distanciamento social, cuja repercussão não se limita às relações familiares e sociais, mas atinge a atividade econômica de vários setores do mercado.”

Como sustenta a magistrada, “estamos em período excepcional do ponto de vista socioeconômico”, no qual “contribuintes se encontram com o livre trânsito comprometido, o que os impede de exercer seus trabalhos e, portanto, auferir renda para custear suas despesas essenciais”, e que “o próprio deslocamento às agências bancárias está dificultado” e ainda “que nem toda a população dispõe de acesso a internet para fazer seus pagamentos online”. 

Para a juíza, “não há dúvidas de que o fornecimento de luz, água, telefone e gás dispensa explanação quanto ao seu caráter essencial, inclusive, a suspensão desses serviços pode agravar a pandemia ou mesmo tornar inviável medidas como o distanciamento social, cabendo aos órgãos competentes assegurar o seu fornecimento em caráter geral, diante da situação pela qual passa o País”. 

Daí a conclusão: “Posto isso, Defiro o pedido de tutela em relação às rés 1) Agência Nacional de Telecomunicações - Anatel, 2) Agência Reguladora de Saneamento e Energia do Estado de São Paulo – Arseps e 3) Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis – ANP, determinando que se abstenham de suspender ou interromper o fornecimento de serviços essenciais de telefonia, água e gás, respectivamente, aos consumidores residenciais ao longo do período de emergência de saúde relativa ao Covid-19, e obrigação de fazer no sentido de restabelecer o fornecimento de energia elétrica para os consumidores residenciais que tiverem sofrido corte por inadimplência, sob pena de multa pecuniária a ser fixada por este juízo pelo descumprimento da ordem.” A multa fixada é de R$ 10 mil “por consumidor afetado por dia de descumprimento da ordem”. A Aneel ficou meio que de fora porque já tem uma resolução que proíbe o corte de energia por 90 dias. 


Internet Móvel 3G 4G
Teste na Europa registra 1Gb de velocidade em ondas milimétricas 5G

Telecom Italia, Ericsson e Qualcomm realizaram um piloto em Roma, na Itália, em mmWave 5G em 26GHz, e anunciaram ter conseguido taxas de 1GB/s no downlink e 700 Mb/s no uplink. Novo teste será feito, agora, na cidade de Front, em Torino, também na Itália.

Oi é única a crescer na TV paga, mercado que encolhe há seis anos sem reagir

No acumulado de janeiro a outubro de 2020, já se foram mais 660 mil acessos perdidos no segmento – e quase 5 milhões desde o pico, em 2014. 

Anatel encerra ciclo de TACs em acordo fraco com Algar

Depois de fracassar na troca de multas por investimentos com Oi, Vivo e Claro, agência contabilizou sucesso somente com a TIM e permitiu à Algar cortar mais da metade do acerto inicialmente firmado. 

Anatel renova faixa de 850 MHz para Vivo, mas nega pedido de redução de preço

Empresa renovou apelo ao regulador para que fosse aplicada a regra do preço público ou ônus de 2%, ambos abaixo do valor de mercado.

STF julga inconstitucionais leis de BA e RJ sobre créditos pré pagos e cobrança de serviços

Mais uma vez, Supremo ressaltou que, ainda que importantes ações em defesa dos consumidores, normas estaduais não podem invadir a competência privativa da União de legislar sobre telecomunicações. 

Revista do 63º Painel Telebrasil 2019
Veja a revista do 63º Painel Telebrasil 2019 Transformação digital para o novo Brasil. Atualizar o marco regulatório das telecomunicações é urgente para construir um País moderno, próspero e competitivo.
Clique aqui para ver outras edições



  • Copyright © 2005-2020 Convergência Digital
  • O Portal Convergência Digital é um produto da editora APM LOBO COMUNICAÇÃO EDITORIAL LTDA - CNPJ: 07372418/0001-79
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G