Clicky

INTERNET

Tribunal de Contas Europeu admite falhas nas ações antitruste contra gigantes da internet

Luís Osvaldo Grossmann* ... 19/11/2020 ... Convergência Digital

Um relatório do Tribunal de Contas Europeu, publicado nesta quinta, 19/11, aponta que a Comissão Europeia ainda não apresentou uma solução cabal para os novos e complexos desafios de cumprimento das regras nos mercados digitais, para a quantidade crescente de dados a analisar ou para as limitações dos instrumentos de execução existentes. Para o TCE, a Comissão Europeia “tem uma capacidade limitada para acompanhar os mercados, detectar proativamente infrações às regras antitruste e verificar a exatidão das informações relativas às concentrações”.

As regras da UE em matéria de concorrência visam impedir as empresas de participarem em práticas anticoncorrenciais, como os cartéis secretos, ou abusarem de uma posição dominante. Se as empresas não respeitarem estas regras, a Comissão pode aplicar multas. Nos últimos 10 anos, a aplicação das regras da concorrência confrontou-se com alterações significativas na dinâmica do mercado devido à emergência dos mercados digitais, aos megadados e a algoritmos de fixação de preços. 

“Na última década, a Comissão tem utilizado eficazmente os seus poderes em matéria de controle das concentrações e processos antitruste”, afirmou Alex Brenninkmeijer, o integrante do TCE responsável pelo relatório. "Porém, necessita agora de reforçar a supervisão do mercado para se adaptar a um mundo mais global e digital. Necessita de aperfeiçoar a deteção proativa das infrações e selecionar as suas investigações de forma mais judiciosa. Junto com uma cooperação reforçada por parte das autoridades nacionais da concorrência, o resultado será uma melhor aplicação das regras de concorrência no mercado interno da UE, protegendo as empresas e os consumidores."

Um dos problemas apontados é a limitação de recursos. “O TCE constatou que o nível de recursos à disposição da Comissão para o acompanhamento dos mercados relativamente a potenciais problemas e para a deteção de processos antitrueste por iniciativa própria – em acréscimo à sua reação a queixas externas – era relativamente limitado. Os inquéritos setoriais exigem muitos recursos: por exemplo, o inquérito de 2015 da Comissão sobre o comércio eletrónico exigiu uma equipa de 15 pessoas a trabalhar a tempo completo durante dois anos.”

Adicionalmente, o relatório do TCE recomenda que a CE defina melhor a prioridade dos casos a investigar, o que fez com base em critérios que não foram claramente ponderados de modo a garantir a seleção dos casos de maior risco. No domínio do controle das concentrações, a Comissão enfrenta desafios extras, nomeadamente a quantidade crescente de dados e de concentrações. 

Por ano, a Comissão Europeia examina mais de 300 notificações de concentração e cerca de 200 processos antitruste. Entre 2010 e 2019, aplicou multas por infrações num montante de 28,5 blhões de euros. Devido aos seus recursos limitados, realizou apenas quatro inquéritos setoriais por iniciativa própria desde 2005, que ajudaram a detectar infrações. 

* Com informações do TCE

Revista Abranet 32 . set-nov 2020
Veja a Revista Abranet nº 31
O ano de 2020 marca os 25 anos da internet comercial no Brasil e confirma que ela é fundamental para a economia e a vida cotidiana. PIX, Wi-Fi 6, LGPD, white spaces, numeração para SCM... Veja a revista completa.
Clique aqui para ver outras edições

Justiça manda Facebook remover críticas ao uso de máscaras contra a Covid-19

Rede social deve tirar do ar vídeo que questiona a validade de um decreto municipal, em Santa Catarina, que obriga o uso de máscaras pela população para evitar a propagação do novo coronavírus. 

STJ autoriza Telebras fazer manutenção de rede durante o dia

Foi derrubada decisão que impedia a estatal de fazer a manutenção durante o dia para evitar problemas técnicos durante o horário comercial. Para o STJ, restrição ao trabalho representa risco de grave lesão à ordem, à segurança e à economia.

Elétricas: é irracional o uso dos postes pelas empresas de Telecom

Resolução do impasse, que se arrasta, é urgente, até por conta da chegada do 5G e pela necessidade da implantação das antenas de pequeno porte, as small cells, afirmam CPFL, Copel e Neoenergia.

LGPD: Passou da hora de as empresas contratarem seus DPOs

A adverência é feita pela advogada especializada em direito digital, Patrícia Peck. "Não basta arrumar a casa para estar protegido. A falta de uma liderença para cuidar da LGPD é um erro grave", pontuou.

ISPs vão massificar o Wi-Fi 6 no Brasil

Diretor da Associação Brasileira de Internet, Evair Galhardo, sustenta que 5G e Wi-Fi 6 são complementares, mas admite que por ser usada em faixa não licenciada, o Wi-Fi 6 vai se multiplicar muito mais rápido no País.



  • Copyright © 2005-2020 Convergência Digital
  • O Portal Convergência Digital é um produto da editora APM LOBO COMUNICAÇÃO EDITORIAL LTDA - CNPJ: 07372418/0001-79
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G