Clicky

Home - Convergência Digital

TIM faz piloto de 5G em 'rede viva' em Florianópolis

Ana Paula Lobo, de Florianopólis - 26/06/2019

A TIM está fazendo um piloto com o 5G em sua rede 'viva', ou seja, na ERB instalada para atender o campus da Universidade Federal de Santa Catarina, em Florianópolis O piloto, autorizado pela Anatel, acontece na faixa de 3,5GHz e usa 100 Mhz para a sua realização, contou o diretor de rede da TIM Brasil, Marco Di Constanzo. As aplicações testadas estão sendo produzidas pela Fundação Certi e envolvem cidades inteligentes, indústria 4.0 e Internet das Coisas.

"Não é um laboratório. Não é um teste fechado. Colocamos o 5G na nossa torre aqui na UFSC e ele está funcionando ao lado do nosso 2G, 3G e 4G. Ela está integrada à nossa infraestrutura. O sinal é levado para Maringá, Curitiba e depois para o Rio de Janeiro", diz Constanzo. A possível interferência do 5G na faixa de 3,5GHz é minimizada pelo executivo. "Os conflitos são absolutamente gerenciáveis", informou.

Outros testes serao realizados na cidade de Santa Rita do Sapucaí, em Minas Gerais, com a Ericsson e a Inatel como parceiras, e em Campina Grande, com a Universidade Federal de Campina Grande e a Nokia. "O 5G é um grande ecossistema. É um novo habilitador de negócios e é isso que estamos testando, novas aplicações para dar mais competitividade e produtividade", diz Constanzo.

Do ponto de vista técnico, Constanzo revelou que, até o final do ano, a TIM terá 4G em mais 300 cidades o que levará a cobertura a mais de 3500 localidades no Brasil. "Não existe 5G, sem 4G. O 4G é a base porque levamos fibra óptica", observou. Em entrevista à CDTV, do Convergência Digital, Marco Di Constanzo, revelou ainda que  virtualização, para o uso do edge computing, segue em curso.

"Teremos 37 data centers virtualizados, 12 para o core da rede, e 25 para edge computing. 5G exige menor latência. O edge computing viabiliza essa menor latência agregada ao 5G", completa. Para o diretor de rede da TIM Brasil, o leilão das frequências acontecendo de fato no primeiro trimestre de 2020, o ano que vem será ainda de operações não comerciais e pilotos. "O 5G chegará para valer em 2021 se o cronograma for mantido", afirmou. Assistam a entrevista.

*Ana Paula Lobo viajou a Florianópolis a convite da TIM Brasil

Enviar por e-mail   ...   Versão para impressão:
 

LEIA TAMBÉM:

27/11/2020
Teles: restrição a fornecedores é um risco ao 5G e aos consumidores

26/11/2020
Palo Alto: É um erro enorme repetir o passado e não tornar a nuvem aberta de verdade

24/11/2020
Leilão 5G: Embaixada da China reage forte contra filho do presidente Jair Bolsonaro

24/11/2020
Minicom se diz cobrado por Bolsonaro para fazer o leilão 5G

24/11/2020
Highline compra Phoenix Tower e passa a deter 3,2 mil torres no Brasil

19/11/2020
Qualcomm e Nokia: Ondas milimétricas são a mudança do modelo de negócio no 5G

18/11/2020
Anatel: Cibersegurança em Telecom une teles e os mais de 10 mil prestadores de serviços SCM

17/11/2020
TBNet fecha parceria com tele para transformar 23 mil ATMs em hotspots Wi-Fi 5G

16/11/2020
EUA autorizam Qualcomm a exportar chips 4G para Huawei, mas proíbe o 5G

13/11/2020
Oi avalia 5G para usar 3,5 GHz em banda larga fixa

Destaques
Destaques

Anatel: Cibersegurança em Telecom une teles e os mais de 10 mil prestadores de serviços SCM

"Não há como fazer obrigação em cibersegurança. O ambiente tem de ser cooperativo e não é apenas com as teles. São mais de 10 mil pequenos prestadores de serviços e eles têm de estar ativos. Temos de ter uma coordenação entre todos os atores", disse o superintendente de Planejamento e Regulamentação da Anatel, Nilo Pasquali.

Aos 23 anos, Anatel lista 5G como próximo desafio

“Entre os desafios que nos aguardam, a economia brasileira precisa ter sua digitalização aprofundada, a conectividade precisa se tornar mais real na vida dos brasileiros”, destacou o presidente da agência, Leonardo de Morais, também ressaltando a segurança cibernética e renovação das concessões em 2025.

Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV
Veja mais artigos
Veja mais artigos

IoT e os novos negócios e aplicações para o mercado de energia

Por Pedro Al Shara*

Analistas de mercado estimam que o impacto da Internet das Coisas na economia alcance de 4% a 11% do Produto Interno Bruto do planeta em 2025.


Copyright © 2005-2020 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site