Home - Convergência Digital

Citrix: Funcionários desengajados travam a transformação digital

Ana Paula Lobo - 12/08/2019

As empresas estão mais preocupadas em fazer a transformação digital para fora do que para dentro de casa e os fracassos estão acontecendo, observa o diretor-geral da Citrix do Brasil, Luís Banhara. Em entrevista ao Convergência Digital, durante a edição brasileira da Future of Work tour da companhia, na semana passada, em São Paulo, Banhara foi muito claro: funcionário não engajado trava todos os processos da jornada digital.

"Uma pesquisa do Instituto Gallup mostra que, hoje, 85% dos trabalhadores não estão engajados no mundo e, em 2020, esse número passará para 95%. Esse desengajamento vai travar a transformação digital e provocará um prejuízo de US$ 7 trilhões à economia global", afirma Banhara. O executivo diz que a projeção do mercado mostra que vai existir um gap de talentos em torno de 95 milhões de profissionais no mundo em 2020, que vão ser somados aos desmotivados no ambiente de trabalho.

"A experiência do funcionário será decisiva para uma boa jornada digital. Acredita-se que cada pessoa terá até 8 dispositivos conectados nos próximos anos, além do smartphone, do notebook, do tablet e do celular. Saber transformar o dado gerado por todos esses dispositivos em informação será diferencial concorrencial", observa ainda o diretor-geral da Citrix no Brasil.

Interessada em ter uma fatia desse mercado, a Citrix investe nos chamados microapps, quando as aplicações (sobretudo as SaaS) são transformadas em funcionalidades, o que otimiza o tempo dos funcionários ao eliminar logins, diminuir drasticamente o tempo da troca de um aplicativo para outro e destacar as funções mais acessadas. "São tantos os sistemas - entre 7 a 12 - o ideal é o funcionário atuar onde ele tem de atuar de forma transparente até por conta da urgência da governança de dados após as legislações, como no Brasil, a Lei de Dados Pessoais, que entra em vigência em 2020", salienta.

A Citrix, reforça Banhara, traçou três diretrizes: organizar, ensinar e automatizar. Hoje, informa Banhara, pelo menos 20 clientes da Citrix no Brasil estão testando o novo modelo de gestão de informação proposto pela companhia. "Sabemos que o processo gera dor, nós mesmo na Citrix tivemos dores, mas esse modelo é essencial para a jornada digital", acrescenta o executivo.

Sobre o momento brasileiro, a Citrix navega em mares mais tranquilos. O diretor-geral da companhia admite que o primeiro trimestre foi, como denominou, esquisito. "Não foi o que planejamos, não do ponto de vista de retorno, mas de oportunidades", diz Banhara. O segundo trimestre já foi uma guinada. "Ele superou as nossas expectativas", comemora. Para o segundo semestre, o executivo mantém o otimismo com a recuperação econômica."Tecnologia é ferramenta para otimizar custos", salienta.

As verticais que mais estão buscando engajar funcionários na transformação digital são o varejo - acossados pelas vendas online - o financeiro e serviços. O segmento de healthcare também busca a organização, muito em função da LGPD. "A lei de dados pessoais exigirá compliance e governança de dados. Organizar, ensinar e automatizar serão mantra", completa Banhara.

Enviar por e-mail   ...   Versão para impressão:
 

LEIA TAMBÉM:

08/01/2021
Atos faz oferta para comprar a DXC Technology por US$ 10 bilhões

15/12/2020
Destreza digital: ela vai fazer a diferença no seu emprego

14/12/2020
BCG: 70% dos processos de transformação digital fracassam

17/11/2020
Transformação digital: quase três em cada 10 empresas temem morrer em dois anos no Brasil

06/10/2020
Mais de 3000 profissionais disputam vagas de temporários de TI no Governo

05/10/2020
Transformação digital faz Lojas Renner abrir 80 vagas em Tecnologia

01/10/2020
Com covid-19, conectividade vira item essencial nas corporações

29/09/2020
Metade das PMEs brasileiras ficou mais digital por conta da Covid-19

28/09/2020
Transformação digital é mudar a mentalidade de produto para solução ao cliente

25/09/2020
Banco digital vai às compras para reforçar atuação no Brasil

Veja mais artigos
Veja mais artigos

A confiança é ganha com mil atos e perdida com apenas um

Por Luis Banhara*

À medida que o conceito de trabalho se descola dos escritórios, mesmo que parcialmente, surgem novos desafios de segurança. A superfície de ataque foi ampliada.

Destaques
Destaques

Na liderança, curiosidade insana e coragem impactam mais que a competência

Vice-presidente para setor público na AWS, Teresa Carlson, e Indra Nooyi, membro do board da Amazon e ex-CEO e chairman da PepsiCo, admitiram que a Covid-19 tem provocado crises existenciais em muitas pessoas e que, há, sim, um forte e um injusto desequilíbrio para as mulheres.

Média salarial de profissional de TI no Brasil ficou em R$ 4.849,00

Pesquisa nacional, realizada pela Assespro-Paraná e pela UFPR, mostra a desigualdade econômica do país. No Nordeste, em Sergipe, a média salarial é de apenas R$ 1.943.00. Em São Paulo, essa média sobe para R$ 6.061,00. Outro ponto preocupante: a diferença salarial entre homens e mulheres segue acima de dois dígitos.

Certificação é critério de seleção para encarregado de dados

Ainda que a LGPD não exija qualificação específica, o mercado busca profissionais com conhecimento na área. Formação pode custar até R$ 6 mil, observou Mariana Blanes, advogada e sócia do Martinelli Advogados, ao participar do CD em Pauta.

Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV

Copyright © 2005-2015 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site