Clicky

Home - Convergência Digital

5G já trouxe aumento de receitas para as operadoras

Luís Osvaldo Grossmann - 07/11/2019

O 5G avança mais rapidamente do que o 4G, como mostram os sinais vindos especialmente da Coreia do Sul, país pioneiro nas ofertas comerciais baseadas no aumento de capacidade da nova onda tecnológica. Como demonstrou durante o Workshop 5G, realizado no dia 05 de novembro, em Brasília, com organização da Network Eventos,  o diretor de soluções da Huawei, Carlos Roseiro, seis meses depois já foi possível verificar ganhos no faturamento das operadoras. 

“O que a gente vê são casos mundo à fora, tanto para consumidor pessoa física, residencial e corporativo. O mais adiantado é o caso da Coreia, onde as operadoras estão com boas experiências. Significa que o 5G com maior banda e menor latência, conseguem oferecer serviços com experiências transformadoras. Então realidade virtual, estádios com visão 360 graus, faz com que usuários queiram ter esse tipo de serviço. Estão dispostos a pagar mais por isso? Sim”, destacou Roseiro. Pacotes começam por volta do equivalente a R$ 200. O raciocínio é que o preço aumentou em cerca de 36%, mas para um volume de dados 16 vezes maior. 

Como defendeu o diretor de soluções da Huawei, “a fórmula ganha-ganha é que as operadoras cobram um pouco mais pelo 5G, mas entregam muitíssimo mais dados e velocidade. Na Coreia são mais de 3,5 milhões de clientes em seis meses. Sendo que 1 milhão assinou pacotes de valor agregado, realidade virtual. Portanto um terço já passou para esses pacotes. Como resultado, em apenas um trimestre as operadoras aumentaram as receitas em 2%.”

A flexibilidade do 5G também indica casos de uso para conexões residenciais, com as novas redes fazendo vez de fibra óptica onde essa instalação é mais complexa. Mas o maior potencial de faturamento e novos negócios tende a ser as aplicações industriais baseadas em baixa latência. 

“Sem dúvida o uso industrial é grande transformação que o 5G vai permitir. Talvez não seja o primeiro caso de uso, mas será o maior e realmente transformador da sociedade. Mas ainda está mais incipiente que os ofertas de consumo. Vemos muitos testes, demonstrações que indicam que melhora a eficiência. É um bom investimento para as operadoras, porque as empresas vão querer aumentar sua eficiência e estarão dispostas a pagar por isso.” Assista a entrevista com Carlos Roseiro, da Huawei.

Enviar por e-mail   ...   Versão para impressão:
 

LEIA TAMBÉM:

27/11/2020
Teles: restrição a fornecedores é um risco ao 5G e aos consumidores

26/11/2020
Palo Alto: É um erro enorme repetir o passado e não tornar a nuvem aberta de verdade

24/11/2020
Leilão 5G: Embaixada da China reage forte contra filho do presidente Jair Bolsonaro

24/11/2020
Minicom se diz cobrado por Bolsonaro para fazer o leilão 5G

24/11/2020
Highline compra Phoenix Tower e passa a deter 3,2 mil torres no Brasil

19/11/2020
Qualcomm e Nokia: Ondas milimétricas são a mudança do modelo de negócio no 5G

18/11/2020
Anatel: Cibersegurança em Telecom une teles e os mais de 10 mil prestadores de serviços SCM

17/11/2020
TBNet fecha parceria com tele para transformar 23 mil ATMs em hotspots Wi-Fi 5G

16/11/2020
EUA autorizam Qualcomm a exportar chips 4G para Huawei, mas proíbe o 5G

13/11/2020
Oi avalia 5G para usar 3,5 GHz em banda larga fixa

Destaques
Destaques

Anatel: Cibersegurança em Telecom une teles e os mais de 10 mil prestadores de serviços SCM

"Não há como fazer obrigação em cibersegurança. O ambiente tem de ser cooperativo e não é apenas com as teles. São mais de 10 mil pequenos prestadores de serviços e eles têm de estar ativos. Temos de ter uma coordenação entre todos os atores", disse o superintendente de Planejamento e Regulamentação da Anatel, Nilo Pasquali.

Aos 23 anos, Anatel lista 5G como próximo desafio

“Entre os desafios que nos aguardam, a economia brasileira precisa ter sua digitalização aprofundada, a conectividade precisa se tornar mais real na vida dos brasileiros”, destacou o presidente da agência, Leonardo de Morais, também ressaltando a segurança cibernética e renovação das concessões em 2025.

Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV
Veja mais artigos
Veja mais artigos

IoT e os novos negócios e aplicações para o mercado de energia

Por Pedro Al Shara*

Analistas de mercado estimam que o impacto da Internet das Coisas na economia alcance de 4% a 11% do Produto Interno Bruto do planeta em 2025.


Copyright © 2005-2020 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site