Clicky

Home - Convergência Digital

Nvidia compra Arm por R$ 212 bilhões e mira celulares, IoT e nuvem

Convergência Digital* - 14/09/2020

A Nvidia fechou um acordo para comprar a fabricante de chips Arm, do SoftBank Group, por US$ 40 bilhões, equivalente a R$ 212 bilhões, em movimento que mira levar a campeã dos PCs para o mercado de dispositivos móveis, IoT e nuvem. O negócio não inclui a unidade de serviços IoT da Arm e exigirá aprovações regulatórias do Reino Unido, União Europeia, EUA e China, que a Nvidia espera levar cerca de 18 meses.  

“A combinação vai turbinar a capacidade de P&D da Arm e expandir seu portfólio de IP com a tecnologia de GPU e AI da Nvidia”, afirmou o fundador e CEO da Nvidia, Jensen Huang. Segundo ele, a união dos recursos de computação de IA com o vasto ecossistema da Arm vai “avançar a computação da nuvem, smartphones, PCs, carros autônomos e robótica, para superar a IoT e expandir a computação de IA para todos os cantos do globo”. 

A Nvidia informou que a Arm continuará independente e com o modelo de licenciamento aberto da empresa de design de chips que é sediada no Reino Unido, enquanto vai ampliar o portfólio com tecnologia própria da nova dona. 

A Nvidia também planeja expandir a presença de P&D da Arm no Reino Unido, estabelecendo um centro de pesquisa e educação de IA e construindo um supercomputador relacionado com base na tecnologia da dupla.  A Nvidia planeja cobrir US$ 21,5 bilhões em ações ordinárias com US$ 12 bilhões em dinheiro. Além disso, o SoftBank pode receber até US$ 5 bilhões em dinheiro ou ações ordinárias sob uma cláusula de ganho, sujeito ao cumprimento de metas financeiras específicas da Arm. A Nvidia também emitirá US $ 1,5 bilhão em ações para os funcionários da Arm. A SoftBank deverá manter uma participação inferior a 10% na Arm. 

A Arm conta com Apple, Qualcomm, Samsung e Intel entre seus clientes, e suas CPUs estão presentes na maioria dos smartphones em produção. A Nvidia foi rápida em expressar interesse em adquirir a Arm depois que a SoftBank declarou que estava considerando venda parte, ou toda, participação. Em agosto, a Arm voltou atrás no plano de transferir suas operações de IoT para a SoftBank, optando por separar a operação e a contabilidade de seu principal negócio de semicondutores.  A SoftBank adquiriu a empresa de design de chips em setembro de 2016 por US $ 32 bilhões.

* Cominformações do MWL

Enviar por e-mail   ...   Versão para impressão:
 

LEIA TAMBÉM:

14/09/2020
Nvidia compra Arm por R$ 212 bilhões e mira celulares, IoT e nuvem

15/06/2020
Indústria de semicondutores reage à liquidação da Ceitec

11/05/2020
Governo dos EUA pressiona por fábrica estatal de chips

17/04/2020
Nuvem em alta, celulares em baixa derrubam vendas de memórias

16/05/2019
Após três anos em alta, ganhos em semicondutores vão cair 7,2% em 2019

09/08/2018
Intel vendeu US$ 1 bilhão em chips de inteligência artificial

26/07/2018
Qualcomm é primeira vítima da guerra entre os EUA e a China

26/07/2018
Qualcomm é primeira vítima da guerra travada entre EUA e China

03/04/2018
Apple planeja trocar Intel por chips próprios nos Macs

07/03/2018
Finep e BNDES querem garantias para novo aporte na Unitec Semicondutores

Destaques
Destaques

Qualcomm e Nokia: Ondas milimétricas são a mudança do modelo de negócio no 5G

Ondas milimétricas não apenas uma banda a mais para o 5G, mas são a base das novas aplicações com baixíssima latência, diz Francisco Soares, da Qualcomm. Wilson Cardoso, da Nokia, adverte que, até 2025, serão instaladas 200 mil ERBs para atender verticais específicas como a indústria 4.0.

Anatel: Cibersegurança em Telecom une teles e os mais de 10 mil prestadores de serviços SCM

"Não há como fazer obrigação em cibersegurança. O ambiente tem de ser cooperativo e não é apenas com as teles. São mais de 10 mil pequenos prestadores de serviços e eles têm de estar ativos. Temos de ter uma coordenação entre todos os atores", disse o superintendente de Planejamento e Regulamentação da Anatel, Nilo Pasquali.

Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV
Veja mais artigos
Veja mais artigos

5G precisa ser aberto e transparente

Por Fabio Rua

É possível afirmar que estamos vivendo um momento extremamente crucial na história da tecnologia, ainda mais após todo o processo de aceleração digital e transformação exigidos durante o período da pandemia de COVID-19. As decisões que tomarmos hoje sobre como as redes 5G serão construídas em nosso país terão um impacto sem precedentes na transformação dos negócios.


Copyright © 2005-2020 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site