Clicky

Home - Convergência Digital

Oi avalia 5G para usar 3,5 GHz em banda larga fixa

Luís Osvaldo Grossmann - 13/11/2020

Mesmo com a continuidade do plano de vender tudo o que for possível até o fim de 2021, a Oi indicou nesta sexta, 13/11, que ainda avalia participar do leilão do 5G, previsto para o próximo ano no Brasil, mas como reforço ao foco no serviço fixo: usar a faixa de 3,5 GHz para conexões wireless na ‘última milha’. 

“Estamos analisando. Enquanto a gente não fechar a transação de móvel, nossa operação móvel vai ser independente, e dessa forma vamos considerar a participação no 5G e já temos plano com relação ao que fazer caso a transação seja fechada. É importante lembrar que se a faixa de 3,5 GHz vai ser importante no negócio móvel, também será importante para oferecer serviço wireless em áreas que a densidade para oferecer fibra em varejo ainda não existe”, apontou o presidente da Oi, Rodrigo Abreu. 

Ao apresentar os resultados trimestrais da operadora nesta sexta, 13/11, Abreu reconheceu que a alternativa não é a de melhor retorno, mas pode ser importante como estratégia complementar. “Será menos eficiente, ou com retorno um pouco menos positivos em relação a levar fibra. Então 5G pode ser uma opção para esse tipo de acesso. Podemos considerar a decisão de participar ou não do leilão.”

No mais, mesmo que não dispute as novas fatias de espectro, a Oi espera que a implantação do 5G proporcione ganhos ao que chama de ‘InfraCo’, a operação focada em redes de fibra resultante da alienação das demais unidades de negócio. 

“No 5G, existe um segundo componente, que seria positivo ter um resultado do leilão para trazer o uso da fibra para essa discussão. Acelerar o 5G também vai acelerar os serviços de fibra da InfraCo”, concluiu Rodrigo Abreu. 

Enviar por e-mail   ...   Versão para impressão:
 

LEIA TAMBÉM:

25/01/2021
Oi confirma que duas empresas disputam controle da unidade de fibra

20/01/2021
Operadoras abraçam Open RAN aberto, mas cobram financiamento da União Europeia

19/01/2021
EUA querem dar a faixa de 12 GHz para o 5G

15/01/2021
Teles querem deixar migração das parabólicas para depois do leilão 5G

14/01/2021
Oi descarta veto do CADE à venda da Oi Móvel para TIM, Vivo e Claro

13/01/2021
Algar tenta suspender venda da Oi Móvel em novo apelo ao CADE

11/01/2021
Consumidor abre mão de acesso 5G por bateria com mais duração

05/01/2021
Brasileiro será CEO global da Qualcomm a partir de junho

29/12/2020
Algar Telecom vai ao CADE contra venda da Oi Móvel à TIM, Vivo e Claro

21/12/2020
Eduardo Levy assume diretoria de Relações Institucionais da Oi

Destaques
Destaques

Uso da faixa de 700 MHz deixa 4G disponível 80% do tempo no Brasil

Segundo a mais recente análise da OpenSignal, TIM tem a rede de quarta geração com maior disponibilidade, 88,2%, à frente da Claro (79%) e Vivo (79,5%), Oi (70,2%). 

Um em cada quatro acessos móveis na América Latina será 5G até 2026

Nova edição do Relatório de Mobilidade da Ericsson aponta que até o final de 2020, mais de 1 bilhão de pessoas ao redor do mundo já estará usando 5G. 

Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV
Veja mais artigos
Veja mais artigos

Previsões para 5G Core (5GC) e redes móveis em 2021

Por Ivan Marzariolli*

A maioria das teles com 5G escolheu o que é chamado de implementação “não autônoma”.  É um híbrido de 4G e 5G que permite oferecer muitos recursos 5G aos assinantes, enquanto ainda aproveita o investimento existente em seu core de pacote 4G. Operadoras estão ansiosas para aproveitar as vantagens do 5GC (SA ou autônomo) - maior agilidade de serviço e custos mais baixos.


Copyright © 2005-2020 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site