Home - Convergência Digital

Empresa de call center dá calote em 8 mil trabalhadores. Vivo rompe contrato

Ana Paula Lobo - 12/04/2021

ATUALIZADA -Os cerca de 2800 trabalhadores da Vikstar, empresa de call center terceirizada que presta serviço para a Telefônica Vivo no Piauí, estão de braços cruzados desde esta segunda-feira, 12/04, por falta de pagamento de salários e de passivos trabalhistas.

"Os funcionários estão sem receber há três meses. A Vikstar alegou que era falta de pagamento da Vivo. Se a Vivo diz ter pago, então pedimos à Vivo que não pague mais e assuma o call center. Os funcionários são a Vivo no Piauí. Precisamos receber e manter os postos de trabalhos", disse ao Convergência Digital, João Moura Neto, presidente do Sindicato dos trabalhadores em telecomunicações do Piauí (Sinttel-PI) e da Federação interestadual dos trabalhadores e pesquisadores em serviços de telecomunicações (Fibratel).

Segundo ele, o problema se repete no Paraná e em São Paulo e atinge, com o Piauí, cerca de oito mil trabalhadores. No mercado, os rumores são que a Vikstar passa por problemas sérios financeiros. Apenas no Piauí, são mais de 25 processos trabalhistas correndo na Justiça. O Convergência Digital procurou a Vikstar, mas a assessoria de Imprensa informou que a companhia prefere não falar.

A Vivo informou que "efetuou pagamentos à Vikstar com base no contrato de prestação de serviços terceirizados de call center, que foram inclusive antecipados à empresa. A Telefônica tem uma postura consciente e responsável e cumpre à risca os compromissos assumidos com seus fornecedores".

E, agora, no final da tarde, encaminhou outro comunicado onde informa que "o contrato de prestação de serviços com a Vikstar, empresa de serviços terceirizados de call center, foi encerrado por questões relacionadas à deterioração financeira da Vikstar, que poderiam afetar a operação e qualidade do atendimento aos clientes da Telefônica".

A operadora sustenta ainda que para evitar qualquer impacto, o atendimento aos clientes da Telefônica seguirá normalmente a partir de outras posições de call center próprios e de terceiros. Termina afirmando que buscará contribuir na realocação dos funcionários da Vikstar, indicando-os para eventual aproveitamento por outros fornecedores.

 

Enviar por e-mail   ...   Versão para impressão:
 

LEIA TAMBÉM:

14/05/2021
STF valida lei que proíbe telemarketing para empréstimos a aposentados

12/05/2021
À espera da Anatel, Vivo quer ter rede neutra de fibra no segundo semestre

12/05/2021
Hub digital, Vivo lança oferta especial do Spotify Premium

12/05/2021
Vivo investe na criação da Vida V, um marketplace de saúde e bem-estar

04/05/2021
Um terço dos trabalhadores de call centers sofre distúrbios psíquicos

03/05/2021
Vickstar/Vivo não cumpre acordo e 2400 trabalhadores entram em greve em Teresina

29/04/2021
CADE aprova compra de torres da Vivo pela American Tower

29/04/2021
Vivo Pay chega integrado ao Pix e disponível para não clientes

27/04/2021
Vivo abre 100 vagas no call center para pessoas com deficiência

26/04/2021
Hyndai Brasil contrata Vivo Empresas para carros conectados

Veja mais artigos
Veja mais artigos

Trabalho híbrido, cloud, segurança, 5G: como fica o mercado de TI no Brasil?

Por Mauricio Suga*

A pandemia da Covid-19 e as mudanças decorrentes dela foram grandes aceleradores da transformação digital, tanto no Brasil quanto a nível mundial. Mudamos a maneira como trabalhamos e entendemos o local de trabalho, como gerimos e nos relacionamos com equipes e, também, revisitamos as prioridades de investimentos organizacionais, sejam elas de curto ou longo prazo.

Destaques
Destaques

MP do Governo muda as regras para teletrabalho

A MP 1046/2021 diz que a infraestrutura necessária para a prestação do trabalho remoto tem de estar em contrato firmado previamente ou em até 30 dias depois da mudança do regime de trabalho.

Governo reedita redução de jornadas de trabalho e suspensão de contratos por conta da Covid-19

Programa passa a ter validade a partir desta quarta-feira, 28 de abril e terá validade de 120 dias.Trabalhador que for inserido no programa terá estabilidade de até seis meses.

TIC incorporou 59 mil novos profissionais e gerou 1,62 milhão de empregos em 2020

Apesar da adversidade econômica e social com a Covid-19, TIC manteve a empregabilidade em alta. "Respondemos à desoneração da folha de pagamentos cumprindo o que nos cabia. Gerar empregos", afirmou o presidente-executivo da Brasscom, Sergio Paulo Gallindo.

Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV

Copyright © 2005-2015 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site