Home - Convergência Digital

edTech nacional cria escola para formar programadores Web

Da redação - 02/10/2020

A edTech catarinense Trybe, criada em 2019 pelos empreendedores Matheus Goyas, João Daniel Duarte, Rafael Torres, Marcos Moura e Claudio Lensing, tem como objetivo formar  profissionais de desenvolvimento web, uma das profissões mais disputadas do mercado. A edtech espera fechar o ano com 700 estudantes e receber mais de mais 3 mil pessoas até o final de 2021.

Com um currículo formatado com contribuições de profissionais de mais de 40 empresas do ecossistema de tecnologia, a escola tem como princípio o ensino de qualidade focado em empregabilidade. Desta forma, os estudantes da Trybe encontram uma metodologia proprietária focada no que as corporações esperam desses profissionais de programação, ensinando as habilidades necessárias para a efetivação no mercado de trabalho.

Em um ano de vida, a Trybe já levantou mais de US﹩ 15,7 milhões de investimento com nomes como, José Galló, ex-CEO da Renner, e fundos como Canary, E.Bricks, Atlântico, Global Founders Capital, Joá Investimentos, dentre outros. Parte desse valor foi direcionado para a aquisição da Codenation, startup que trabalhava com aceleração de carreiras por meio de programas de capacitação e conexão com grandes empresas.

A edtech já tinha um programa de recrutamento, o "Hiring Partner Program", em parceria com mais de 30 empresas, entre elas: Localiza, Loft, Tembici e Ambev. E, com a compra da Codenation, que traz em seu portfólio cerca de 100 companhias, reforça sua expertise em aceleração de carreira e seus esforços de empregabilidade para estudantes, amarrando assim todo o ecossistema de qualificação e contratação.

"Para a Trybe, empregar seus estudantes é indispensável, por isso, focamos na qualidade da formação. Nosso objetivo é uma formação completa e aprofundada, que abrange desde habilidades técnicas necessárias para o desenvolvimento de um software até habilidades comportamentais, essenciais e extremamente demandadas pelo mercado", afirma Matheus Goyas, CEO e Fundador da Trybe.

O acesso ao ensino também é um dos maiores diferenciais da edtech. Ainda que com desconto considerável para as pessoas que pagam à vista, o modelo de maior adesão é o de "sucesso compartilhado", onde é possível começar a pagar o curso apenas após estar trabalhando. Cerca de 85% dos estudantes optam por esse modelo, reforçando a importância de facilitar o ingresso ao ensino como fator determinante para a formação de profissionais. "A Trybe só ganha quando estudantes têm sucesso profissional. Isso nos obriga a oferecer as melhores práticas de ensino e investir cada vez mais na qualidade da formação das nossas turmas. Afinal, se as pessoas que estudam na Trybe não forem boas profissionais, elas não terão sucesso e, consequentemente, nós perdemos com isso", afirma o empreendedor.

O número de pessoas interessadas em se formar na escola cresce a cada dia. No último processo seletivo, para formar a oitava turma, a Trybe teve mais de 8 mil inscrições e aprovou apenas 146, uma taxa de 1,70% de aprovação - ingresso similar ao de processos seletivos de universidades públicas e instituições estrangeiras renomadas. Isso se dá por ser um processo seletivo rigoroso que busca encontrar pessoas altamente esforçadas, capazes de aprender e decididas sobre a carreira em programação.

Aliado a dedicação e comprometimento com os estudos, o curso oferece um ensino robusto, que conta com carga horária de cerca de 1.500 horas, inclui aulas online e ao vivo, projetos práticos individuais e em grupo, monitoria técnica com especialistas, conversas sobre carreira, contato com empresas e o desenvolvimento de soft skills Atualmente, a escola oferece uma modalidade sem hub, sendo esta 100% on-line, bem como mantém presença nas cidades de Belo Horizonte (MG), São Paulo (SP), Itajubá (MG) e Florianópolis (SC).

Enviar por e-mail   ...   Versão para impressão:
 

LEIA TAMBÉM:

08/06/2021
Dois anos depois, app do Google para programação gratuita ganha versão em português

01/06/2021
Código para Todxs: Serasa vai formar desenvolvedores em tecnologias mobile

18/05/2021
Curso gratuito tem 30 mil vagas para programação em Java Script

29/03/2021
IBM oferece a primeira certificação quântica para desenvolvedores

11/03/2021
ThoughtWorks abre vagas exclusivas para mulheres desenvolvedoras

12/02/2021
Laboratória abre inscrições para bootcamp de programação exclusiva para mulheres

29/01/2021
Empresas fora da área de TI se unem e oferecem 100 mil bolsas gratuitas para formação de desenvolvedores

14/01/2021
SENAC e empresas de TI se unem e formulam curso de programação Full-Stack

05/01/2021
Accenture e Gama Academy abrem 60 vagas para capacitação de programadores

24/11/2020
paySmart-Elo promovem maratona de desenvolvimento

Veja mais artigos
Veja mais artigos

Redes Neurais darão bons programadores?

Por Francisco Camargo*

A pergunta que fica não é se a inteligência artificial vai substituir os programadores, mas quando isso acontecerá.Esse desenvolvimento terá profundo impacto na educação das crianças e no futuro dos seus empregos.

Destaques
Destaques

Contratações em TIC cresceram 300% no 1ºtri e ainda assim foram insuficientes

Entre janeiro e março foram abertas 52.743 novas vagas, frente as 59.193 criadas ao longo do ano passado, segundo a Brasscom.

TRT-2 valida demissão feita pelo WhatsApp

A 18ª Turma do Tribunal Regional do Trabalho da 2ª Região confirmou a demissão de uma educadora de ensino infantil justificando que a OTT se 'tornou um grande aliado, especialmente em 2020, como ferramenta de comunicação como qualquer outra'.

DPOs e analistas de compliance LGPD estão em alta no mercado de trabalho

Dezoito profissões do futuro do trabalho começam a ganhar corpo no Brasil, conforme a consultoria Robert Half.BI e CRM estão também em alta.

Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV

Copyright © 2005-2015 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site