Clicky

Home - Convergência Digital

Oi avalia 5G para usar 3,5 GHz em banda larga fixa

Luís Osvaldo Grossmann - 13/11/2020

Mesmo com a continuidade do plano de vender tudo o que for possível até o fim de 2021, a Oi indicou nesta sexta, 13/11, que ainda avalia participar do leilão do 5G, previsto para o próximo ano no Brasil, mas como reforço ao foco no serviço fixo: usar a faixa de 3,5 GHz para conexões wireless na ‘última milha’. 

“Estamos analisando. Enquanto a gente não fechar a transação de móvel, nossa operação móvel vai ser independente, e dessa forma vamos considerar a participação no 5G e já temos plano com relação ao que fazer caso a transação seja fechada. É importante lembrar que se a faixa de 3,5 GHz vai ser importante no negócio móvel, também será importante para oferecer serviço wireless em áreas que a densidade para oferecer fibra em varejo ainda não existe”, apontou o presidente da Oi, Rodrigo Abreu. 

Ao apresentar os resultados trimestrais da operadora nesta sexta, 13/11, Abreu reconheceu que a alternativa não é a de melhor retorno, mas pode ser importante como estratégia complementar. “Será menos eficiente, ou com retorno um pouco menos positivos em relação a levar fibra. Então 5G pode ser uma opção para esse tipo de acesso. Podemos considerar a decisão de participar ou não do leilão.”

No mais, mesmo que não dispute as novas fatias de espectro, a Oi espera que a implantação do 5G proporcione ganhos ao que chama de ‘InfraCo’, a operação focada em redes de fibra resultante da alienação das demais unidades de negócio. 

“No 5G, existe um segundo componente, que seria positivo ter um resultado do leilão para trazer o uso da fibra para essa discussão. Acelerar o 5G também vai acelerar os serviços de fibra da InfraCo”, concluiu Rodrigo Abreu. 

Enviar por e-mail   ...   Versão para impressão:
 

LEIA TAMBÉM:

30/11/2020
Reino Unido endossa NEC no OpenRAN para tirar Huawei e provocar Ericsson e Nokia

30/11/2020
Um em cada quatro acessos móveis na América Latina será 5G até 2026, prevê Ericsson

27/11/2020
Oi acerta corte de 50% em multas da Anatel, para R$ 7 bilhões, mas conta pode cair para R$ 4 bilhões

27/11/2020
Teles: restrição a fornecedores é um risco ao 5G e aos consumidores

26/11/2020
Sem disputa, Oi vende datacenters e torres por R$ 1,4 bilhão

26/11/2020
Palo Alto: É um erro enorme repetir o passado e não tornar a nuvem aberta de verdade

24/11/2020
Leilão 5G: Embaixada da China reage forte contra filho do presidente Jair Bolsonaro

24/11/2020
Minicom se diz cobrado por Bolsonaro para fazer o leilão 5G

24/11/2020
Highline compra Phoenix Tower e passa a deter 3,2 mil torres no Brasil

19/11/2020
Qualcomm e Nokia: Ondas milimétricas são a mudança do modelo de negócio no 5G

Destaques
Destaques

Qualcomm e Nokia: Ondas milimétricas são a mudança do modelo de negócio no 5G

Ondas milimétricas não apenas uma banda a mais para o 5G, mas são a base das novas aplicações com baixíssima latência, diz Francisco Soares, da Qualcomm. Wilson Cardoso, da Nokia, adverte que, até 2025, serão instaladas 200 mil ERBs para atender verticais específicas como a indústria 4.0.

Anatel: Cibersegurança em Telecom une teles e os mais de 10 mil prestadores de serviços SCM

"Não há como fazer obrigação em cibersegurança. O ambiente tem de ser cooperativo e não é apenas com as teles. São mais de 10 mil pequenos prestadores de serviços e eles têm de estar ativos. Temos de ter uma coordenação entre todos os atores", disse o superintendente de Planejamento e Regulamentação da Anatel, Nilo Pasquali.

Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV
Veja mais artigos
Veja mais artigos

IoT e os novos negócios e aplicações para o mercado de energia

Por Pedro Al Shara*

Analistas de mercado estimam que o impacto da Internet das Coisas na economia alcance de 4% a 11% do Produto Interno Bruto do planeta em 2025.


Copyright © 2005-2020 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site