Clicky

GOVERNO » Legislação

Supremo confirma que software não paga ICMS

Luís Osvaldo Grossmann ... 18/02/2021 ... Convergência Digital

Agora é oficial. O Supremo Tribunal Federal concluiu o julgamento das ADIs 1945 e 5659 e, assim, encerrou o debate proibindo a cobrança de ICMS sobre o software. Ou, nas palavras do relator José Dias Toffoli, pela “incidência exclusivamente do imposto municipal tanto no licenciamento quanto na cessão do direito de uso de programas de computador”.

Levou mais de 22 anos de questionamentos constitucionais à bitributação. Há 15 anos, pela Lei Complementar 116/03, o tema parecia superado. Mas os estados começaram a buscar brechas e baixar normativos autorizando a cobrança de ICMS.  

"A decisão era mais que necessária. O setor vivia numa insegurança jurídica perpétua e houve recrudescimento das ações dos estados. O fim dessa querela, com a decisão favorável ao ISS, vai ser um alívio para o setor de software. Não por esta ou aquela alíquota. Mas pela segurança. Que seja um ou outro. O que não pode é ser os dois", avalia o presidente da Brasscom, a associação brasileira das empresas de TIC, Sergio Paulo Gallindo. 

O placar final foi apertado. Nesta quinta, 18/2, Kassio Nunes Marques acompanhou a minoria e somou cinco votos favoráveis ao ICMS – no caso do último ministro a votar, por entender que mesmo incorpóreo, o software se assimila à energia elétrica, também alvo do imposto estadual. 

Mas se o julgamento encerra o mérito da bizantina discussão, resta o impacto de mais de duas décadas de briga judicial sobre os tributos já recolhidos, ou mesmo não recolhidos. Como apontou o relator, para evitar uma nova corrida aos tribunais sobre o que deveria ter sido tributado e por quem. 

Toffoli até encaminhou uma tentativa de modulação. A linha proposta é de que “a eficácia desse julgamento seja a partir da ata de publicação do julgamento, esclarecendo que até a véspera, quem já recolheu ICMS não poderá pedir repetição de indébito. E o município não poderá cobrá-lo se já foi pago ICMS”. 

Decidiu-se buscar uma redação que reúne a maioria qualificada de oito votos – que não existiu no mérito, vencido por 6 a 5. A intenção é votar um texto de modulação, do qual Toffoli também será relator, na abertura da sessão de 24/2. 


Caixa adere ao login único federal do Gov.br

É a sexta instituição financeira no sistema, depois do Banco do Brasil, Bradesco, Banrisul e Banco de Brasília, além do Sistema de Cooperativas Financeiras do Brasil.

Senado define presidentes das comissões de Ciência e Tecnologia e de Infraestrutura

Rodrigo Cunha (PSDB-AL) vai comandar a CCT, com a ex-presidente Daniella Ribeiro (PP-PB) buscando a vice. Na CI foi eleito Dário Berger (MDB-SC).

Com Minas Gerais, já são 12 estados no login único do Gov.br para acesso a serviços online

Segundo o Ministério da Economia, 74 municípios e as 27 juntas comerciais também aderiram ao sistema de identificação federal. 

ANPD: Brasileiros devem buscar seus direitos junto aos controladores dos dados vazados

Em nota oficial, a Autoridade Nacional orienta o cidadão a entrar em contato com as empresas para indagar se suas informações foram expostas ou não, como se fosse fácil para o consumidor ter acesso a essas organizações.

STF abre caminho para venda de Serpro, Dataprev e Ceitec

Com exceção dos ministros Edson Fachin e Ricardo Lewandowski, a maioria da Corte seguiu a relatora Carmem Lúcia, para quem lei genérica prevendo programa de desestatização basta para autorizar o Executivo. 



  • Copyright © 2005-2021 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G