Clicky

Oi emite R$ 2,5 bilhões em debêntures da InfraCo

Convergência Digital* ... 19/02/2021 ... Convergência Digital

A Oi anunciou no fim da noite desta quinta-feira,18/02, por meio de fato relevante, a emissão de debêntures conversíveis com garantia real pela Brasil Telecom Comunicação Multimídia S.A. (BTCM). A BTMC é uma subsidiária integral da Oi que foi constituída como a unidade de infraestrutura de fibra do grupo (InfraCo), e está captando até R$ 2,5 bilhões com esta emissão.

A transação, diz a Oi, garante a flexibilidade de capital necessária para prosseguir com o plano de reorganização aprovado por seus credores.Ainda conforme a Oi, "o financiamento apoiará a expansão da rede FTTH (fibra até a residência, na sigla em inglês) da InfraCo e a implantação contínua da maior rede de infraestrutura de fibra óptica do Brasil." Os recursos do financiamento também apoiarão a separação estrutural da Oi e da InfraCo, conforme aprovado no aditamento ao plano de recuperação judicial da Empresa.

A subscrição das debêntures será liderada pela Brookfield, líder global em gestão de ativos alternativos, com participação do fundo global de investimentos Farallon Capital Management e da Prisma Capital. A Brookfield tem aproximadamente US$ 600 bilhões em ativos sob sua gestão em mais de 30 países, incluindo investimentos de longo prazo em infraestrutura, imobiliário, energia renovável, private equity e crédito. A Brookfield está investindo na transação por meio do seu programa de Special Investments.

“Para a Oi, a participação de duas companhias de investimento líderes globais no financiamento da InfraCo demonstra que o mercado reconheceu o enorme potencial do modelo de rede neutra que desenhamos a partir da nossa proposta de separação estrutural. A emissão das debêntures garante significativo capital para os investimentos previstos este ano na InfraCo, dando suporte ao processo contínuo de expansão da fibra traçado em nosso plano estratégico de transformação”, destaca Rodrigo Abreu, CEO da Oi.

“Estamos entusiasmados com a parceria com Rodrigo e a equipe da Oi nesta próxima fase de transformação para torná-la a plataforma de infraestrutura digital dominante no Brasil”, afirma Angelo Rufino, Managing Partner da Brookfield Asset Management. “A Oi está no centro da adoção e da demanda crescente no Brasil por maior intensidade de fibra e esperamos aproveitar a nossa longa história de investimentos em infraestrutura e relacionamentos no Brasil para apoiar esse crescimento”.

“O modelo de rede neutra deve ser transformacional para a competitividade e o desenvolvimento do setor de telecomunicações no Brasil”, disse Daniel Goldberg, Managing Partner da Farallon Latin America. “Estamos financiando a primeira companhia que tornará disponível, em escala, sua infraestrutura para os diferentes players do setor. Acreditamos que esse modelo de negócios é extremamente vantajoso para os stakeholders da Oi e também para o país.  Estamos muito orgulhosos em apoiar a criação da InfraCo”.  

Em paralelo à essa operação de captação, a Oi segue negociando, em regime de exclusividade, a possibilidade de acordo para concessão de direito de preferência (“stalking horse”) na alienação do controle da UPI InfraCo a fundos que apresentaram proposta vinculante para tal, de maneira aderente ao processo competitivo judicial previsto no aditamento ao seu plano de recuperação judicial homologado em outubro de 2020, tal como já comunicado por fatos relevantes divulgados ao mercado recentemente.

*Com informações do fato relevante da Oi


Internet Móvel 3G 4G
5G privado para o B2B faz Telefônica fazer teste com rede open source TIP

Apetite das teles pelo 5G empresarial fez operadora, dona da Vivo, aderir a um grupo de trabalho para desenvolver uma arquitetura mais flexível em relação às operações tradicionais. Nova infraestrutura vai incorporar o OpenRAN. Testes em laboratórios serão em Madrid. Os de campo vão acontecer em Málaga, mas a operadora não revela cronograma de datas.

Wi-Fi 6E Brasil 2021 - Cobertura especial - Editora ConvergenciaDigital

Wi-Fi 6E: o futuro da infraestrutura do Wi-Fi

As faixas de 2,4 GHz e de 5 GHz estão congestionadas no Brasil e torna-se urgente ter mais frequência por mais capacidade e eficiência, afirma o chefe de Tecnologia da CommScope para Caribe e América Latina, Hugo Ramos.

Oi: fibra ótica é o chassi de suporte para Wi-Fi 6, Wi-Fi 6E e 5G

Para o VP da Oi, Carlos Eduardo Monteiro, o Brasil tem desafios a vencer para a expansão do Wi-Fi 6, como ofertar mais segurança jurídica e regulatória para os investimentos. O câmbio – já que todos os aportes e equipamentos são atrelados ao dólar – desponta como um gargalo a ser enfrentado.

Pequenos provedores querem antecipar uso outdoor do Wi-Fi 6E

“Desenvolver toda a base de dados leva tempo. Mas há operações que já sabemos onde são usadas e onde evitar problemas. Então podemos começar a implementar desde já”, diz o presidente da Associação Neo, Alex Jucius. 

GSMA: há risco no uso do Wi-Fi 6E em ambiente outdoor

Entidade insiste na necessidade de destinar uma parte dos 1200 MHz do espectro de 6 GHz para a oferta de serviços licenciados. "Essa faixa é mais viável para atender a demanda de espectro de banda média", afirma o diretor para a América Latina na GSMA, Lucas Gallitto.

Wi-Fi 6E: o futuro da infraestrutura do Wi-Fi
Empresa brasileira se prepara para oferecer Wi-Fi como serviço
Cambium Networks: é urgente a necessidade de atualização das redes para o Wi-Fi 6
IDC: Wi-Fi 6 e Wi-Fi 6E exigem evangelização por parte do ecossistema
Facebook: risco de interferência em 6 GHz não afeta a oferta do serviço
Brasil assume liderança e se torna hub do Wi-Fi 6E nas Américas
Veja mais matérias deste especial

Integração da Oi Móvel pela TIM começa pelas frequências e tem prazo de 12 meses

Estratégica para os planos da tele no Brasil nos próximos anos, a integração dos ativos da Oi Móvel começará 'nos dias subsequentes' à aprovação do negócio, afirmou o CEO Pietro Labriola.

Anatel estima que 5G vai custar R$ 35 bilhões no Brasil

Compromissos de cobertura previstos superam os R$ 23 bilhões. Cálculos anda precisam passar pelo crivo do Tribunal de Contas da União.  Anatel também prevê investimentos de mais de R$ 80 bilhões nos próximos 20 anos.

Governo retira exclusividade da Telebras da gestão da rede privada

O ministro das Comunicações, Fábio Faria, revelou que vai alterar Decreto Presidencial para dar às teles a opção de gerenciar à rede tirarando a exclusividade até então concedida à Telebras.

Vivo assume que rede neutra fará a diferença no 5G

Batizada de FiBrasil, a rede neutra terá papel central na estratégia nacional, afirmou o CEO da Vivo, Cristian Gebara.




  • Copyright © 2005-2021 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G