Clicky

Convergência Digital - Home

Multicloud está longe de ser simples e exige responsabilidade com a divisão dos dados

Convergência Digital
Ana Paula Lobo - 13/04/2021

A nuvem não é o mundo perfeito e ela exige planejamento e muita responsabilidade das corporações, que começam a entender essa complexidade na dor, uma vez que a aceleração digital aconteceu pela pandemia de Covid-19, afirma Leonel Oliveira, diretor geral da Nutanix Brasil.

A Nutanix realizou uma pesquisa global, com dados do Brasil, onde ficou constatado que aqui, metade dos entrevistados (50%) afirmou que realizou novos investimentos em nuvem híbrida especificamente como resultado da pandemia e pouco menos da metade (41%) relatou aumentos em nuvem privada e nuvem pública (38%). Apenas 5% relataram não ter feito novos investimentos em infraestrutura por causa do COVID-19.

Os entrevistados no Brasil relataram um progresso acima da média com a implantação de HCI (sigla em inglês para Infraestrutura Hiperconvergente), uma etapa capacitadora na jornada para uma configuração de nuvem híbrida. Mais da metade (54%) dos entrevistados do Brasil disseram que já implementaram ou estão em processo de implementação de HCI, em comparação com 50% dos entrevistados globalmente e 48% na região das Américas.

"O grande problema é que muita companhia fez virtualização e acha que fez multicloud. E são coisas distintas. Multicloud não é tão simples de implementar. Exige um planejamento estratégico e muita responsabilidade por parte das empresas. Não é apenas dividir os dados com provedores. Mas é necessário gerenciar e valorizar os dados para saber se eles estão blindados. Mais que tudo é preciso saber quais dados têm de ser protegidos e quais dados podem ser perdidos. Nem tudo exige blindagem", pontua Leonel Oliveira, em entrevista ao Convergência Digital.
 
O levantamento da Nutanix comprova que, embora o entusiasmo com a nuvem híbrida tenha sido forte e consistente nos últimos três anos, as implementações reais têm sido mais lentas em todos os países até o momento. Entre os motivos estão tendências como a disponibilidade limitada de ferramentas e conjuntos de recursos entre plataformas de nuvem.

Um terço dos entrevistados do Brasil (33%), por exemplo, relatou ter pouco conhecimento de TI necessário para gerenciar ambientes de nuvem híbrida; 33% também disseram que não tinham habilidades em tecnologias nativas da nuvem e de contêineres. Além disso, algumas empresas ainda possuem arquiteturas de datacenter tradicionais que precisam ser substituídas e aplicações legadas críticas para o negócio e que são difíceis de transportar para novos ambientes. Ainda, para algumas, as leis de privacidade proíbem o armazenamento de informações de privacidade do cliente em locais que a empresa não controla.

"A nuvem não é um mundo perfeito e as empresas precisam estar cientes disso. Não existe mundo perfeito na tecnologia. Mitigar os riscos se faz sempre obrigatório. Transferência de dados para um local terceiro não é garantia de proteção absoluta. Muita empresa pensa que ao fazer virtualização, fez multicloud e não fez", sustenta Oliveira. Mas o executivo também reforça o fato de a aceleração digital determinou uma revisão dos planejamentos estratégicos e acelerou os investimentos na computação em nuvem, não apenas como redução de custos, mas como meio para viabilizar a rotina operacional. "Modelos de negócios que não seriam implementados tão cedo, o foram por conta da Covid-19. A pandemia é digital, mas temos de nos preparar mais para a transformação digital", completa o executivo.





Destaques
Destaques

Sky nega venda de data center e quer ter 100% dos sistemas na nuvem em 2022

"O projeto era ter tudo este ano, mas tivemos que rever por conta da pandemia. Vamos ficar com 80% dos sistemas de TI na nuvem da Oracle. Mas isso não significa que vamos nos desfazer do nosso data center. Ele será realocado para a Engenharia", afirmou André Nazaré, diretor de TI da Sky Brasil.

Teradata é 100% cloud e open source

Há 40 anos no Brasil, empresa disse adeus ao hardware para ser uma companhia de software e de computação em nuvem. "Boa parte das empresas trata os dados como uma mercadoria. Eles estão em silos, mal gerenciados e inacessíveis para quem precisa", observa o diretor geral da Teradata no Brasil, Fabio Oliveira.



Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV

Veja mais artigos
Veja mais artigos

Cloud é bom, mas quem gerencia?

Edmilson Santana*

Se a nuvem soluciona problemas de um lado, de outro sua operação demanda a formação de um time capaz de traduzir demandas de negócio em continuidade operacional, e isso de forma ágil, produtiva e consistente.

Como a IaaS está alinhada ao seu negócio?

Por Fábio Lucinari*

Cada vez mais é preciso considerar que as opções convencionais de TI tendem a ser ineficientes no trabalho de auxiliar as companhias a se adaptarem às necessidades e aos desafios do cenário atual. Infraestrutura como serviço oferece soluções projetadas sob medida e aprimoram o consumo da área de tecnologia.


Copyright © 2005-2020 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site